Teste da reprovação

Tempo de leitura: 3 minutos

A dica de hoje vai para os colegas que estão iniciando no mundo dos concursos ou que decidiram migrar seus estudos para concursos de maior dificuldade: o teste da reprovação.

Além de toda a preparação com estudo das matérias, resolução de questões, feitura de resumos e esquemas, não existe melhor simulado do que uma prova real!

Fazer uma prova exige do candidato não só conhecimento do conteúdo, mas também saber comportar-se durante a prova, ante as mais diversas situações.

Antes mesmo de começar a prova, você precisa ter noção do que deve ou não comer na véspera da prova, quando ir dormir e acordar, o tempo de deslocamento de sua casa ou do local em que esteja hospedado até o local da prova, qual a bendita cor da caneta que se deve utilizar (tem bancas que só aceitam preta, outras aceitam azul ou preta, mas sempre rola uma confusão, hehe), que lanche levar, se vale à pena ou não revisar conteúdos ou ficar conversando com amigos antes de entrar na sala ou se é melhor entrar logo e se concentrar.

Chegando na sala de prova, precisa-se ter noção de como se comportar, se se deve levar ou não um casaco, solicitar uma cadeira pra canhoto (os colegas que são canhotos sabem desse suplício), o comportamento dos fiscais (alguns não sabem de nada, outros falam pelos cotovelos, outros são mais rigorosos etc) e dos demais colegas (aquele com tique nervoso, o que espirra o tempo todo etc).

Além de tudo isso, o principal é ter uma boa gestão do tempo de resolução de prova. Saber se você consegue fazer a prova e refazê-la depois, se começa pelas questões fáceis ou difíceis, o tempo de ida ao banheiro e de fazer os pequenos lanches, o tempo de colheita de assinaturas e impressões digitais pelos fiscais e, principalmente, o tempo de preenchimento do gabarito.

É por tudo isso que o Prof. Gerson Aragão sugere que se façam “testes de reprovação”:

Esses testes, portanto, nada mais são do que provas que você faz para se testar, para ver como reage a todos os fatores tratados nos parágrafos acima.

A princípio, parece um bicho de sete cabeças, mas não é. E quanto mais provas você fizer, mais acostumado estará e melhor saberá lidar com adversidades. Pense nisso como aulas de direção: no começo, você precisa sempre ficar olhando pro câmbio pra saber como passar as marchas, mas, com o passar do tempo, saberá fazê-lo sem ter que ficar olhando.

Da mesma forma ocorre em relação às provas: você aprenderá como gerir seu tempo, reagir diante de questões difíceis e até de dificuldades externas (como barulho, frio, calor etc).

Portanto, sempre que surgir uma prova com conteúdos similares ao que esteja estudando, principalmente se ocorrer na sua cidade ou em uma cidade ou Estado próximo ao seu, faça a prova! Teste seus limites! Quando chegar no dia da prova para o cargo que você realmente quer, já estará “calibrado” pra poder dar o seu melhor e alcançar um bom resultado: é o teste da aprovação!

Ficamos torcendo aqui por seu sucesso, viu?

Um abraço e até a próxima dica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *