Poucas horas para estudar: É possível ser aprovado em um concurso de alto nível?

Tempo de leitura: 2 minutos

 Poucas horas disponíveis para estudar, filhos, trabalho(s), casa para cuidar…

Será que é possível uma pessoa que passe por pelo menos uma situação acima, ser aprovada em um concurso de alto nível?

“O homem não teria alcançado o possível se, repetidas vezes, não tivesse tentado o impossível“. – Max Weber.

Sim, claro que é possível! No entanto, existem formas, ou melhor dizendo, estratégias que lhes auxiliam a alcançar a meta desejada.

Por exemplo, para situações em que se tem apenas 1hora/ 2 horas de estudos por dia, fica um pouco mais complicado de se conseguir a aprovação em um concurso de Juiz, Promotor, Defensor entre outros a curto ou médio prazo.

Em casos como estes, nos quais situações diárias comprometem a quantidade de tempo livre de estudo, é mais estratégico que a pessoa foque primeiramente em um concurso intermediário.

Isto porque, o concurso intermediário lhe fornecerá uma estabilidade financeira, sem contar que sobrará mais tempo para se dedicar aos estudos.

Além disso, estudar para um concurso intermediário exige estudos de menos matérias, edital menor, menos denso, sem contar que o grau das perguntas são mais superficiais.

Por outro lado, Concursos de alto nível podem chegar a ter em média 13 matérias, podendo chegar até mais de 20 matérias, pasmem, como é o caso da Defensoria Pública da União.

Por isso, como dito anteriormente, apesar do seu objetivo aparentar ser difícil, este não será impossível se você encará-lo com estratégia.

Isso mesmo, seja estratégico! Neste caso, construa um degrau, após o outro para chegar no cargo almejado.

Para maiores informações sobre estratégia de estudos, formas de otimizar o tempo, ou qualquer outros problemas diários que atingem sua evolução nos estudos, acesse agora o site abaixo e baixe o e-book digital do Prof. Gerson Aragão com várias dicas de estudo.

Livro digital : http://www.metododeaprovacao.com.br

Assista também um video gravado com o Prof. Gerson e o Prof. Marcio Cavalcante (site Dizer o Direito) sintetizado o tema abordado:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *