Existe um método de estudo que serve para todos?

Tempo de leitura: 2 minutos

Sim. Há técnicas universais de estudo, como resolução de questões, revisões e elaboração de resumos. Assista ao vídeo abaixo e entenda o porquê:

Os estudos em educação, neurociência demonstram que, para a maioria das pessoas, a mente funciona de uma forma parecida. Daí o porquê de as técnicas ensinadas em nosso curso serem eficazes para nossos alunos.

Isso não quer dizer, todavia, que há um standard, um padrão. Somos iguais em geral, como seres humanos, mas também somos diferentes, temos nossas particularidades.

Assim, a base, a essência de um método de estudo pode ser igual para você e outro colega, mas a forma de aplicação pode ser adaptada às particularidades de cada um.

Por exemplo, alguns gostam de resolver questões como a primeira incumbência do dia; outros, só no final. Uns baixam e imprimem uma prova e a resolvem, comentando-a; outros, resolvem questões de várias provas, mas sobre o assunto estudado no dia ou no dia anterior.

Veja, portanto, que o método de resolução de questões é efetivo, essencial para a aprovação em concursos. Todavia, isso não quer dizer que haja um padrão específico de como ele deve se dar.

E como eu posso saber qual a forma mais efetiva de executar o método de estudo?

Você pode tentar fazê-lo sozinho, testando as variações de sua execução, mas isso pode levar muito tempo. O ideal é que busque as sugestões de pessoas experientes em concurso, como o prof. Gerson Aragão, ou pessoas mais próximas a você que tenham sido aprovadas em concurso, preferencialmente no cargo que você almeja. Analise, por exemplo, como elas aplicavam o método de resolução de questões; faça uma autocrítica e teste, por um breve tempo, a técnica sugerida – se der certo, prossiga; se não, adapte-a.

A adaptação é outro fator importante: com o passar do tempo, você notará que formas de estudo são mais efetivas pra você. Ex. aprendo mais a doutrina lendo no livro vs. assistindo vídeo-aulas. Busque sempre fazer uma autocrítica: não é porque, a priori, uma técnica de estudo não está funcionando com você que necessariamente ela deve ser descartada – ela pode ser adaptada ou reaproveitada em outra que esteja executando.

Concluímos o post do dia com esse pensamento grego:

“Conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *