CESPE X FCC

Tempo de leitura: 3 minutos

As bancas CESPE (atualmente CEBRASPE – Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos) e FCC (Fundação Carlos Chagas) são as principais e mais tradicionais organizadoras de concursos públicos no Brasil, para cargos de todos os níveis de conhecimento e formação técnica.

Assim, em regra, o concurseiro deverá estar preparado para resolver provas de ambas as bancas. Um exemplo prático e recente disso são os recentes lançamentos de concursos para servidores dos Tribunais Regionais Federais da 1ª e 5ª Região: o primeiro com banca CESPE; o 2º, FCC. O candidato deverá, portanto, saber as peculiaridades de cada uma para poder se preparar e obter um resultado que leve à aprovação.

Vamos assistir a este vídeo do Prof. Gerson Aragão e depois destrinchar a análise feita por ele:

Primeiramente, enquanto o CESPE privilegia o entendimento do assunto, a FCC cobra mais a literalidade da lei. Assim, mesmo em temas retirados da letra da lei, o CESPE costuma cobrá-lo por meio de um caso prático ou de forma contextualizada. Já a FCC copia e cola o texto legal, fazendo as devidas alterações (ex. colocar que pode, quando não pode; mudar um prazo; incluir/excluir algum dado). Vale ressaltar que em provas para carreiras jurídicas, a FCC tem contextualizado mais a cobrança do texto da lei, como já o faz o CESPE, que também às vezes cobra a letra pura da lei com os mesmos tipos de pegadinha da FCC.

Outro aspecto importante é que, enquanto o CESPE tradicionalmente cobra a jurisprudência dos tribunais superiores noticiadas em Informativos (STF, STJ e TST), a FCC prefere o texto de lei e das súmulas. Para carreiras jurídicas, é indispensável que o candidato esteja acompanhando os informativos. Para carreiras não jurídicas ou técnicas, basta a leitura de legislação, súmulas e um bom resumo ou sinopse da matéria.

Em terceiro lugar, a FCC sempre faz provas múltipla escolha (ABCDE), enquanto o CESPE pode fazer assim ou também no estilo certo e errado, em que uma ou duas questões erradas anulam uma certa, havendo a possibilidade de se deixar em branco para não pontuar, mas também não perder pontos. O órgão contratante é quem definirá se o CESPE fará a prova múltipla escolha ou certo/errado.

Por último, importante destacar que, enquanto o CESPE mantém um padrão de estilo de cobrança dos conteúdos em prova, o que se pode comprovar por seu vasto banco de provas, a FCC tem mudado um pouco seu estilo quanto às carreiras jurídicas, cobrando mais jurisprudência, contextualizando os problemas e, eventualmente, aumentando o nível de dificuldade de algumas questões. Para carreiras não jurídicas e técnicas, todavia, seu padrão se mantém.

De uma forma ou de outra, o candidato deve, sabendo das diferentes nuances de cada banca, preparar-se resolvendo muitas questões para que adquira confiança e fuja das pegadinhas.

Se você tem de se preparar para as duas bancas ao mesmo tempo, não veja isso sob um aspecto negativo. Ao preparar-se simultaneamente, estará aprendendo na prática a diferenciá-las e se preparando pra todo tipo de prova, inclusive de outras bancas.

Gostou do nosso texto? Tem algum comentário sobre suas experiências com essas bancas? Comente embaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *