5 Passos para melhor estudar legislação para concursos

Tempo de leitura: 4 minutos

A grande maioria dos concurseiros tem grande dificuldade em fazer a leitura de legislação para provas – a famosa “lei seca”. Abaixo listamos algumas dicas baseadas neste vídeo de dicas do Método de Aprovação:

 

Vamos lá!

 

1) Análise de provas anteriores

Pegue provas passadas do cargo almejado e da mesma banca que conduzirá o certame. Não as resolva, mas as leia e procure na legislação os temas abordados. Por exemplo, a questão tratou sobre os órgãos componentes do Poder Judiciário – procure na Constituição o artigo correspondente, no caso o art. 92. Leia-o e grife-o, mas não se limite a ele, lendo outros artigos correlatos, como os arts. 93 a 99.

Uma outra dica é, ao resolver questões, marcar o artigo. Por exemplo, se, nas resolvidas, o art. 92, da Constituição, caiu na maioria, é bom que seja marcado para futuras (re)leituras. A marcação pode ser com marca texto ou até mesmo com um ou mais traços à direita do seu caput, parágrafo, inciso e/ou alínea. Veja na foto abaixo um exemplo:

Dessa forma, é possível saber quais artigos, parágrafos, incisos e alíneas têm maior incidência em provas de concurso.

 

2) Leitura dos artigos importantes para a carreira desejada

A depender do cargo a que se candidata o concurseiro, algumas matérias e/ou conteúdos dentro delas adquire maior importância. Por exemplo, candidatos a cargos de técnico e analista de tribunal, ao estudarem os Códigos de Processo Civil e Penal, devem dar especial atenção aos atos processuais – citações, intimações, cartas – porque serão conteúdos com que trabalharão em seu dia-a-dia. É, inclusive, muito comum que esses temas sejam identificados já na análise feita no item 1.

 

3) Memorização dos artigos “ilógicos”

Sabe-se que é comum em provas se cobrarem exceções ou se alterar a redação de parte do artigo para fazer o candidato “cair na pegadinha”. Outra ferramenta, porém, bastante usual é a cobrança de textos de lei com uma redação que possa parecer ilógica ao candidato.

Por exemplo, os enunciados de uma questão que contenham as palavras “sempre” e “nunca” geralmente são eliminados pelo candidato, já que sabem que quase sempre são “pegadinhas”. Veja, porém, o artigo abaixo, do Código Civil:

Art. 320. A quitação, que sempre poderá ser dada por instrumento particular, designará o valor e a espécie da dívida quitada, o nome do devedor, ou quem por este pagou, o tempo e o lugar do pagamento, com a assinatura do credor, ou do seu representante.

Note-se que esse artigo é uma exceção à regra de que “enunciados com ‘sempre’ ou ‘nunca’ são falsos”.

Assim, quando identificar um artigo que possa ser uma “casca de banana” ou pareça-lhe ilógico, destaque-o e memorize-o, evitando “escorregar nessa casca”!

 

4) Revisão constante dos artigos grifados

Não adianta seguir as dicas acima se você não revisar constantemente esses artigos destacados. Separe um tempo para relê-los e fixar seu conteúdo em sua memória.

A repetição da leitura dos conteúdos estudados é essencial para que eles não se percam “no mar” de conteúdos que se estudam para uma prova. E isso inclui a leitura da lei também, ok?

 

5) Leitura de livros, sinopses e/ou resumos com a legislação respectiva ao lado.

O estudo da legislação não deve ser feito somente num momento separado especificamente para ele; deve estar presente quando se utilizam outras fontes de estudo.

Então se você está lendo seu livro, sinopse ou resumo, busque ler e marcar os artigos mencionados ao longo dessas outras fontes de estudo. Isso é importante, porque se familiariza com o texto da lei, podendo acrescer suas anotações no próprio Código.

Para quem usa Vade Mecum, que basicamente é uma compilação de toda a legislação e súmulas passíveis de serem usadas pelos estudantes, concurseiros e profissionais, é comum se ver que, logo abaixo do texto legal, há menção a outros artigos, na mesma ou em outra lei, súmulas etc, que também deverão ser consultados, o que facilita o leitor a melhor compreender o sentido daquela norma ou encontrar sua aplicação prática.

 

Portanto, se ainda não tem, crie o hábito de incorporar a leitura da legislação em seus estudos para concursos! Com o tempo, isso ficará mais agradável e o ajudará a alcançar preciosos pontos nas suas provas.

 

Se tiver alguma dúvida ou experiência a compartilhar, comente aqui embaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *